Prevenção

Campanha Fogos de Artifício

Com o objetivo de conscientizar a população sobre os perigos que os fogos de artifício podem causar, a Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão – SBCM, Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT e o Conselho Federal de Medicina – CFM se uniram para lançar uma campanha em torno do assunto. A campanha tem o apoio do Ministério da Saúde – MS e a Associação Médica Brasileira – AMB.

Clique aqui e confira o folder da ação.

 

A utilização incorreta de fogos de artifício pode resultar desde queimaduras em todos os graus, princípios de incêndio e até a amputação de parte de um membro do corpo, principalmente dos dedos e das mãos.

No período das festas populares, esses acidentes são frequentes e causam afastamento do trabalho e graves sequelas, piorando a qualidade de vida e trazendo muito sofrimento para o acidentado.

Há riscos no manuseio incorreto, no reaproveitamento e manipulação caseira dos fogos e acidentes com danos irreversíveis e também pode levar à morte.

Em casos de amputação, procure rapidamente um centro de atendimento especializado.

Faça a compressão do local com força, com um pano limpo para conter o sangue.

Enrole a parte amputada em um pano limpo, coloque-a em um pacote plástico bem fechado e, sem seguida, ponha o pacote dentro de outra sacola com gelo.

Nunca coloque a parte amputada diretamente no gelo, é necessário apenas refrigerá-la. O reimplante é possível, mas vai depender principalmente do tipo de corte e do tempo decorrido do acidente até o recebimento do socorro adequado.

Evite acidentes com fogos de artifício!

Faça o uso seguro e mantenham as crianças longe de fogos de artifício.

Essa é uma campanha conjunta do Conselho Federal de Medicina - CFM, da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão - SBCM e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, com o apoio do Ministério da Saúde.

Queimaduras por fogos de artifício e por líquidos quentes são as mais comuns nessa época. Além da dor, algumas queimaduras deixam sequelas pelo resto da vida.

As queimaduras destroem de forma parcial ou total as camadas da pele, podendo atingir até mesmo partes mais profundas, como tecido celular subcutâneo, músculos, tendões, nervos e ossos. As queimaduras são classificadas de acordo com a sua profundidade e tamanho, sendo geralmente mensuradas pelo percentual da superfície corporal acometida.

Nunca se automedique, procure por um Centro de saúde especializado.

Acione o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193 ou o SAMU de sua cidade pelo 192.

Lave queimaduras com água fria ou soro fisiológico e envolva com um pano úmido.

Evite acidentes com fogos de artifício!

Faça o uso seguro e mantenham as crianças longe de fogos de artifício.

Essa é uma campanha conjunta do Conselho Federal de Medicina - CFM, da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão - SBCM e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, com o apoio do Ministério da Saúde.

O uso dos fogos de artifício nas tradicionais festas juninas, celebrações de eventos esportivos e réveillon, representam riscos à saúde, pois, se manuseados sem às devidas orientações técnicas, podem causar acidentes, como queimaduras e amputações.

A imprudência também trazer sérias consequências para a audição, devido a alta exposição dos ruídos da explosão, podendo causar danos irreversíveis e até surdez.

Barulhos muito altos, podem romper os tímpanos, causar perda auditiva temporária ou permanente.

A perda auditiva severa pode trazer inúmeras dificuldades e reduzir a qualidade de vida.

Mantenha distância segura do lançamento dos fogos.

Utilize protetores auriculares.

Evite acidentes com fogos de artifício!

Faça o uso seguro e mantenham as crianças longe de fogos de artifício.

Essa é uma campanha conjunta do Conselho Federal de Medicina - CFM, da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão - SBCM e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, com o apoio do Ministério da Saúde.

Não estimule o uso e manuseio.

A venda de fogos de artifício para crianças e adolescentes é proibida pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. Os comerciantes não podem vender artefatos com maior potencial explosivo, pólvora e rojões para pessoas que têm menos de 18 anos. O fornecimento de fogos de artifício para crianças e adolescentes, mesmo gratuito, é considerado crime. Quem desrespeitar a regra pode ser condenado à reclusão de seis meses, há dois anos.

Os pais devem ficar atentos, evitar o manuseio de fogos por crianças e adolescentes, mesmo de classificação A, como os populares “traques” e “bombinhas” de baixo impacto, mas que também causam danos. No Brasil, há diversos registros de acidentes com crianças que desmontaram traques e bombinhas para confeccionar artefatos mais potentes.

Nunca acender rojões e outros artefatos explosivos próximos a crianças e adolescentes.

Manter as crianças e os adolescentes sempre afastados de locais onde ocorrem queimas de fogos.

Não carregar artefatos explosivos no bolso.

Não reaproveitar bombinhas ou rojões que falharam.

Denuncie casos de venda ou entrega de fogos de artifício a crianças e adolescentes, acionando imediatamente as Polícias Civil e Militar ou Guarda Municipal.

Evite acidentes com fogos de artifício!

Faça o uso seguro e mantenham as crianças longe de fogos de artifício.

Essa é uma campanha conjunta do Conselho Federal de Medicina - CFM, da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão - SBCM e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, com o apoio do Ministério da Saúde.

Não brinque perto das fogueiras e evite utilizar fogos de artifício.

Conhecida por suas deliciosas comidas típicas e sua decoração feita com lindas bandeirolas, a Festa Junina já se tornou patrimônio brasileiro. Na tradicional festa é comum a presença da fogueira e fogos de artifício, no entanto, é importante saber que itens que podem provocar graves acidentes se não forem utilizados de maneira correta. O ideal é não brincar perto das fogueiras e evitar o uso de fogos de artificio. Geralmente, acidentes relacionados aos artefatos geram mutilações, amputações de dedos e mãos e também queimaduras. Outra dica essencial é não montar as fogueiras muito altas e muito menos próximas de energia elétrica.

Evite acidentes! Mantenha as crianças longe e utilize os artefatos com segurança.

Essa é uma campanha conjunta do Conselho Federal de Medicina – CFM, da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão – SBCM e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, com o apoio do Ministério da Saúde.

Esporte não combina com fogos.

Estamos chegando a mais uma Copa do Mundo, momenta de festa e grandes comemorações, especialmente para os brasileiros.

A Copa do Mundo, bem como grandes eventos esportivos, costumam elevar o número de acidentes com fogos de artifício.

A prevenção é sempre a melhor opção. A recomendação é não fazer uso.

Crianças não devem jamais brincar com este tipo de artifício e, os adultos, se puderem evitar o uso é mais seguro. O recomendado é que somente pessoas treinadas utilizem os fogos de artificio.

As áreas de manuseio de fogos de artifício devem ser isoladas e é muito arriscado o uso em varandas de apartamentos e locais pequenos.

A combinação de bebidas e fogos é sempre perigosa e deve ser banida.

Os ferimentos mais comuns são no rosto e nas mãos, podendo causar queimaduras e mutilações, havendo ainda riscos para audição, riscos de cegueira e até a morte.

Atenção redobrada com as crianças, que nessa época costumam manusear fogos de artifício que não estouraram, mas podem machucar. Não há fogos seguros para crianças, nem mesmo os da classificação A.

Evite acidentes com fogos de artifício!

Faça o uso seguro e mantenham as crianças longe de fogos de artifício.

Essa é uma campanha conjunta do Conselho Federal de Medicina - CFM, da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão - SBCM e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, com o apoio do Ministério da Saúde.

No mês de junho, os acidentes com fogos de artifício aumentam consideravelmente, geralmente porque são manuseados de forma equivocada ou irresponsável.

Os acidentes mais comuns com os fogos são queimaduras e mutilações, havendo ainda riscos para audição e riscos de cegueira. Ainda há riscos para casas e florestas atingidas, com princípio de incêndio. Em caso de emergência, deve-se manter a calma e acionar imediatamente os bombeiros.

A produção, armazenamento e a comercialização de fogos exigem registro e fiscalização do Exército Brasileiro.

Fique atento a classificação dos fogos de artifício.

Apesar de poderem ser manuseados por crianças e adolescentes, o uso dos fogos dos tipos A e B precisa ser monitorado por adultos. A venda desses artefatos a menores de 18 anos, fora da classificação de risco A, é expressamente proibida segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90).

Também é essencial seguir as instruções dos fabricantes.

Ao comprar fogos de artifício, observe se os estabelecimentos comerciais que vendem esse tipo de mercadoria possuem licença de funcionamento da prefeitura.

Evite acidentes com fogos de artifício!

Faça o uso seguro e mantenham as crianças longe de fogos de artifício.

Essa é uma campanha conjunta do Conselho Federal de Medicina - CFM, da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão - SBCM e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, com o apoio do Ministério da Saúde.

As festas juninas são comemoradas em todas as regiões do país, mas é no Nordeste que elas se destacam ganhando maior expressão. Especialmente a tradicional festa de São João.

Muitas inspirações culturais de outros povos se misturaram no Brasil, somando as tradições da Europa, Portugal e China, sendo que da China foi trazido o hábito de soltar fogos de artifício.

Infelizmente nem só cores, sons e sabores ficam na nossa lembrança. A tradicional festa de São João também marca um grande volume de acidentes com fogos de artifício.

Junho também é o mês de em que se intensificam as campanhas de prevenção às queimaduras, principalmente em função dos fogos de artifício, dos balões e fogueiras também presentes nas festas e que fazem crescer o número de acidentes com queimaduras em todo o país.

Os ferimentos mais comuns são no rosto e nas mãos, podendo causar queimaduras e mutilações, havendo ainda riscos para audição, riscos de cegueira e até a morte.

Atenção redobrada com as crianças, que nessa época costumam manusear fogos de artifício que não estouraram, mas podem machucar. Não há fogos seguros para crianças, nem mesmo os da classificação A.

Evite acidentes com fogos de artifício!

Faça o uso seguro e mantenham as crianças longe de fogos de artifício.

Essa é uma campanha conjunta do Conselho Federal de Medicina - CFM, da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão - SBCM e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, com o apoio do Ministério da Saúde.

Os pequenos fragmentos liberados durante as explosões de fogos de artifício podem perfurar o globo ocular e levar a transtornos visuais e comprometimento grave da visão, até mesmo provocar cegueira.

No período de festas juninas também ocorrem acidentes com as fogueiras. As cinzas, fumaça e brasas muitas vezes ocasionam quadros de conjuntivite alérgica ou edema de pálpebra. Ardor, desconforto e lacrimejamento são os primeiros sinais de agressão à visão.

O acidente mais comuns pelo uso incorreto dos fogos de artifício estão os múltiplos traumas oculares.

Ao sentir um desconforto ou qualquer outro sintoma ocular, deve-se procurar uma emergência oftalmológica o mais rápido possível.

Evite acidentes com fogos de artifício!

Faça o uso seguro e mantenham as crianças longe de fogos de artifício.

Essa é uma campanha conjunta do Conselho Federal de Medicina - CFM, da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão - SBCM e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, com o apoio do Ministério da Saúde.

 

 

 

 

Av. Ibirapuera 2907 - Cjs. 919-D e 920-B - CEP: 04029-200 - Indianópolis - São Paulo - SP - Tels: (11) 5092-3426 e (11) 5092-3434
SBCM©2015 - Todos os direitos reservados | Direitos Autorais | Privacidade